Tecnologias sociais desenvolvidas pela Unifacisa são elogiadas na UFPE

Ascom | 29 de novembro de 2017, às 16:37

O impacto socioeconômico da Unifacisa na comunidade local em que está inserida impressionou os participantes do II Simpósio Internacional de Geografia do Conhecimento e Inovação realizado no último dia 28, em Pernambuco. O evento, promovido pela Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação de Pernambuco SECTI-PE e pelo Grupo de Pesquisa em Inovação, Tecnologia e Território – GRITT, da Universidade Federal de Pernambuco – UFPE, reuniu pesquisadores de todo o país.

O relato sobre a relação entre a Unifacisa e os atores do espaço local foi feito pelas professoras Elenilze Diniz e Celênia Macêdo. As pesquisadoras enfatizaram os aspectos educacionais e da produção de  tecnologias sociais (produto e técnicas) reaplicáveis com possibilidades de gerar impactos socioeconômicos nas comunidades carentes, provocando mudanças substanciais na vida dos moradores, em especial no Assentamento Santa Cruz  e no Bairro Itararé.

A discussão foi apresentada na exposição sobre a Pesquisa e Inovação Inclusiva: O papel da Universidade. “O fato é que uma IES com o menos de vinte de anos conseguiu, em pouco espaço de tempo, o que várias universidades públicas ou privadas parecem desconsiderar: o desafio de provocar mudanças no desenvolvimento socioeconômico no espaço no qual estão inseridas”, assegurou a professora Elenilze Diniz.

 

Durante o evento foram apresentados empreendimentos socioeconômicos gerados na incubadora apoiada pela Instituição em parceria com a Fundação Pedro Américo. Um deles foi o projeto Recriartes cujo resultado foi a incorporação de algumas habilidades manuais como bordados em vagonite que agregaram valor à fabricação de peças artesanais como panos de copa e cozinha, resultando em um diferencial no design das peças. Outro empreedimento social é o projeto Temper Artes de produção de temperos naturais, que incorporou técnicas de embalagens (tubets; painéis e caixinhas de madeiras) para os temperos. “Levamos em consideração a inovação e estética, bem como certos aspectos que unem o moderno ao tradicional e da cultura regional”, explicou..

 

Assuntos: Desenvolvimento socioeconomico

Leia Também

Novo Vestibular Unifacisa tem baixa abstenção e cursos concorridos

Aconteceu neste sábado, 16, o Novo Vestibular 2018.1 Unifacisa para três novos cursos autorizados pelo MEC, são eles Engenharia de […]

Unifacisa/FCM abre seleção para professor de Medicina

A partir desta quarta-feira (13), estarão abertas inscrições presenciais, até 15 de dezembro, para seleção de professor do curso de […]

Professor da Unifit recebe homenagem da Gracie Barra

O professor de Jiu-Jitsu da Gracie Barra Itararé, Adamastor Júnior, recebeu uma homenagem, na última sexta-feira, 08, no Espaço Ciência […]

Unifacisa vence mais uma e conquista pentacampeonato Paraibano

Foi um domingo de mais uma conquista para o Basquete Unifacisa. No último desafio do ano, o time ganhou o […]