Processo de Crucificação de Jesus Cristo é julgado no Teatro Facisa

Ascom | 12 de abril de 2017, às 10:28

Foram dois meses de pesquisa, estudo e preparação que culminaram em quase três horas de Júri Simulado. Na noite desta terça-feira, 11, no Teatro Facisa, estudantes do 7º período do curso de Direito da Unifacisa, sob a coordenação do Professor Breno Wanderley, analisaram o Processo do Julgamento de Jesus Cristo, sem dúvida, um dos maiores escândalos judiciais da história da humanidade.

De acordo com o professor Breno Wanderley, a proximidade da Semana Santa trouxe o assunto para o debate acadêmico. Ele afirmou que a história de Jesus é ímpar, mas a proposta do curso de Direito foi promover um estudo sobre o processo que julgou o homem mais importante da humanidade. “A ideia do Júri Simulado não foi falar da pessoa e nem do ponto de vista religioso, mas levantar as questões do julgamento em si, se houve direito de defesa, se naquela época poderia ter direito de defesa e se a condenação a qual Jesus Cristo foi submetido era realmente o tipo de pena adequada”, destacou.

O professor afirmou que o trabalho foi muito importante para o aprendizado dos alunos, uma vez que, houve toda uma preparação para a realização do evento. “Os alunos se aprofundaram na história da época, nos textos sagrados e acesso a vários pesquisadores e estudiosos. Não foi uma preparação da noite para o dia, o que vamos ter aqui hoje como debate é justamente tudo o que foi colhido, estudado através da antropologia, filosofia e história”, afirmou.

Para a Vice-coordenadora do curso de Direito da Unifacisa, Maria Edneusa Lucena Barbosa, a mística da Cruz é sempre um tema que está na ordem do dia, que as pessoas gostam de ouvir, estudar e analisar. Segundo ela a proposta da atividade foi um momento de mais conhecimento para os alunos. “O assunto despertou grande interesse e curiosidade em todos, começamos a refletir e estudar mais. Existe toda uma literatura sobre o processo e, além disso, a Faculdade contribuiu ao adquirir novos livros sobre a temática. Foi um trabalho muito importante para todos”, disse.

O professor Breno Wanderley acrescentou ainda que do ponto de vista prático o Júri Simulado foi um momento para os estudantes vivenciarem tudo o que aprenderam na disciplina de Direito Penal. “Nós sabemos que o Tribunal do Júri é uma Instituição secular no Brasil que está para julgar os crimes dolosos contra a vida. E é um lugar onde os advogados ou membros do Ministério Público realmente se destacam pelas suas argumentações e oratória, então foi uma prática importante principalmente para aqueles que desejam militar na área penal”, disse.

O estudante do 7º período do curso de Direito, Caio Brasil, afirmou que a estratégia da defesa foi mostrar que embora o processo possa não parecer justo ele foi legal, existiam regras na época instituídas pelo Império Romano e elas foram seguidas. “O Processo estava de acordo com as regras da época e esperamos que seja considerado correto, julgado procedente, sem vícios, exatamente como previa a legislação do Império Romano. Não foi um trabalho fácil para a defesa. Todos nós cristãos teríamos uma inclinação natural para julgar o processo viciado, mas foi um esforço de argumentação extra já que teríamos de ir de encontro a toda uma cultura cristã que inocentaria Jesus Cristo e condenaria o processo. Pesquisamos documentos, leis, livros de história, documentos históricos, foi um trabalho muito importante para todos nós”, disse.

De acordo com o estudante Eliandro Regis, a acusação mostrou que não havia nenhuma prova contra Jesus, daí o pedido de anulação do processo já que a vitima não teve direito de defesa. Segundo ele não foi um julgamento justo, não teve devido processo legal na época.

E após quase três horas de Júri Simulado, o resultado foi 4 x 3 . O Júri entendeu que na época o processo não obedeceu as formalidades legais para crimes contra o Imperador Romano. As argumentações tanto da defesa como do Ministério Publico (acusação), tiveram como base as pesquisas feitas na história e direito Romano. Sendo assim, a equipe representante do Ministério Público venceu o Júri Simulado.

 

Assuntos: Direito, Jesus Cristo, Processo do Julgamento de Jesus Cristo, Teatro Facisa, UNIFACISA

Leia Também

Programa nacional de bolsas de estudo está com inscrições abertas

Programa nacional de bolsas de estudo está com inscrições abertas Uma grana extra pra dar uma força durante a graduação […]

Iniciado cadastramento da imprensa para o Jogo Unifacisa X Flamengo

O cadastramento da imprensa para a cobertura do amistoso do jogo de basquete Unifacisa X Flamengo será iniciado nesta sexta-feira […]

Contratos do Fies para o segundo semestre já podem ser renovados

Não vai perder o prazo! O aditamento do Fies vai até o dia 31 de outubro. No caso de transferência […]

Unifacisa X Flamengo: estudantes Unifacisa já podem retirar ingressos

Está chegando o grande dia! No dia 25 de agosto, a partir das 19h, a Arena Unifacisa te espera para […]